Silvia – Eu Fiz um Aborto com Cytotec Misoprostol

Depoimento da Silvia para a Tag “Eu fiz um aborto” com relatos constantemente de mulheres que realizaram um aborto medicinal e decidiram compartilhar sua história. Ajudando muitas mulheres diariamente na segurança, bem estar e facilidade para a mulher.

Contudo, se você deseja compartilhar sua história, nos envie por whatsapp.

Vale lembrar que nossos depoimentos são assegurados e com a permissão de divulgação.

eu fiz um aborto

Silvia, quais foram seus sentimentos em relação ao aborto?

Encurralada, decidida, aliviada, confusa, receosa.

Como fez o aborto?

Fiz aborto com cytotec misoprostol. Doloroso, porém mais tranquilo do que imaginei.

Mariana, pode nos contar um pouco da sua história?

Minha história é um pouco grande, mas enfim.. tenho 19 anos e namoro há 01 ano e 04 meses e assim fiz o uso do anticoncepcional Lizzy por 01 ano, quando relaxei um pouco na forma do consumo, não tomava sempre no horário certo, meu celular mal despertava e acredito que isso foi o motivo da falha. Engravidei na primeira semana de Junho e no meio do mês eu tomei uma pílula do dia seguinte junto com o anticoncepcional e um Julho iniciei uma nova cartela. Não tive sintoma nenhum, apenas meu seio teve um leve aumento, tive uma menstruação extremamente leve por 02 dias no final do mês e depois o sangue ficou tipo uma borra de café por pelo menos 02 semanas.. achei estranho mas não me preocupei o suficiente pra ir no médico. Foi então que no começo de Julho minha gastrite atacou brutalmente, meu estomago doía demais, não conseguia comer, vomitava depois de todas as refeiçoes, não encontrava posição certa pra deitar e as dores só foram aumentando, mal conseguia comer nem fruta e chegou a ponto de ter emagrecido(bastante).. minhas roupas estavam ficando largas e eu não sabia mais o que fazer porque geralmente minha gastrite passa sozinha em questão de dias e dessa vez ela durou o mês de Julho inteiro e o remédio não fazia mais efeito. Marquei um gastro na última semana de Julho e ele me passou uns exames e um deles era uma tomografia (abdômen). No mês de Julho eu tive um leve sangramento que no dia seguinte parou e veio a borra de café só que dessa vez durou uns 4 dias, achei que não era nada demais e não me preocupei de novo, afinal parecia que eu estava “menstruada” e nem sequer passou pela minha cabeça que eu estivesse gravida, afinal eu tinha perdido muito peso. No dia 06 de Agosto eu fui fazer meu exame. Tudo correu bem, preenchi formulário, estava de jejum e louca pra ir embora logo. Fiz o procedimento da tomografia e quando acabou o médico entrou na sala e perguntou quando havia sido minha última menstruação, achei a pergunta estranha, mas estava tranquila, afinal de contas tomava remédio e minha “menstruação” tinha dado o ar da graça a pouco tempo. Respondi pra ele que havia sido no mês passado e ele falou que havia algo estranho porque meu útero estava dilatado e tinha aparecido uma imagem cística nos exames e que provavelmente era gravidez. Confesso que entrei em panico e fiquei repetindo pra mim mesma e pra ele que era impossível isso acontecer, eu havia menstruado e tomava remédio. Creio que ele percebeu meu desespero e logo fez uma guia de exame pra um transvaginal e pediu um encaixe no ultra som do laboratório com urgência, fiquei aliviada por poder descobrir o que estava acontecendo e ter certeza daquilo. Logo fui chamada pra realizar o exame, tremia muito, estava nervosa e repetindo pra mim mesma que não era possível, foi quando o médico falou “puxa, você está gestante mesmo”. Tenho certeza que aquele momento eu fiquei branca, gelada e senti meu mundo desabar em fração de segundos, perguntei pra ele com a voz trêmula a idade gestacional ele falou “8 semanas e tem aproximadamente 1,75 cm” e quando eu achava que não podia mais piorar, ouvi os batimentos cardíacos e o médico virou o monitor pra mim dar uma olhada, não sabia se virava o rosto, pedia pra ele desligar tudo ou chorava. Sai de la cambaleando, senti minha pressão cair, tremia e chorava. Só conseguia pensar que havia algo dentro de mim, crescendo, se alimentando e estava prestes a arruinar minha vida, meus estudos, meu futuro e tudo, iria arruinar tudo. Liguei pro meu namorado em desespero ele não sabia o que falar, não conseguiu raciocinar, estávamos encurralados e só vinha uma coisa na minha mente: abortar. Eu e meu namorado estávamos numa crise, brigávamos toda hora e a gravidez só agravou mais a situação. De imediato comecei a pesquisar sobre aborto, procurava clínicas, vendedores de cytotec e não conseguia pensar em mais nada além da gravidez.. quando meus pais chegaram em casa naquele dia eu mal conseguia olhar pra eles, me sentia terrível, horrível, queria poder sumir pra sempre. E aquela noite foi a pior noite da minha vida eu não dormi nada, rodava de um lado pro outro, minha barriga queimava de dor e quanto mais nervosa eu ficava mais dor eu sentia, foi um desespero, não conseguia falar com ninguém, só sabia pesquisar sobre aborto, parecia que minha cabeça ia estourar a qualquer momento. Eu já tinha tomado minha decisão e iria abortar a qualquer custo, meu namorado concordou comigo mais no fundo ele queria ter a criança e isso me deixava enfurecida porque a mais prejudicada na historia seria eu, pro homem é simples virar pai mas pra mulher a vida muda totalmente e a responsabilidade é maior. Pensava que tudo precisava dar certo, tinha que dar certo o aborto.. sai em disparada mandando e-mail pra todos os contatos que encontrava, explicando minha situação e pedindo ajuda, obtive algumas respostas mas nenhuma que trazia confiança, olhava em diversos sites, encontrei o cytotec misoprostol e outros sites com depoimentos, lia e relia atentamente cada um deles e me perguntava se daria tudo certo comigo. Fiz amizade com uma moça que havia feito um aborto esse ano e se não fosse por ela eu estaria praticamente perdida; consegui meu primeiro contato para a venda do cytotec, era um medicamento genérico, compramos 6 comprimidos gastei 780 reais, fiz a compra no dia na segunda semana de Agosto e só me restava esperar pois a vendedora morava longe. Nesse meio tempo encontrei uma associação de ajuda a mulher com gravidez indesejada, achei que conseguiria o endereço de alguma clínica ou algo que me ajudasse no aborto, mas foi totalmente ao contrário, a mulher que conversava com as gravidas tentou me convencer que eu poderia ter a criança e que havia outros meios de sair dessa situação e meu namorado começou entrar na onda dela, me senti totalmente sozinha naquele momento, por mais que a inteção dela havia sido boa em certas partes a última coisa que eu precisava era de alguém tentando fazer minha mente e ver meu namorado se tornar outra pessoa diante dos meus olhos, ele se colocou como se eu fosse irresponsável por ter tomado a decisão de abortar, como se a decisão tivesse sido só minha, teve a cara de pau de falar que eu poderia ter a criança e dar pra ele criar sem mim e quando descobrimos o que eu mais ouvia dele era “vai dar tudo certo, vamos abortar e tudo vai acabar bem, não podemos ter essa criança de jeito nenhum”. Cada minuto daquele lugar fazia meu sangue ferver. Ninguém podia me entender, ninguém via o desespero que eu estava e percebi que tinha que tentar me virar sozinha e fazer tudo que tivesse ao meu alcance pois meu futuro e meu corpo pertencia só a mim e além disso eu estava atrás de tudo sozinha, pesquisei tudo sobre aborto sozinha, encontrei os contatos sozinhas, li os depoimentos sozinha, encontrei a associação sozinha, encontrei uma clinica sozinha (não conseguiram me atender porque estava sendo investigados pela policia), ele ajudou apenas na quantia dos remédios. Antes eu fui uma pessoa irresponsável, nunca me cuidei com os namorados que tive, vivia de pilula do dia seguinte achava que tinha algum problema e não podia engravidar e quando finalmente decidi me cuidar pra não correr o perigo de ter uma gravidez indesejada, eu engravidei! Minha mãe engravidou com 16 anos de mim e eu cresci ouvindo que uma gravidez na minha adolescência seria totalmente repugnante pros meus pais e pra toda minha família, eles com certeza não me ajudariam e eu teria que me virar sozinha, meu pai sempre foi rígido comigo e minha mãe sempre levou a culpa por tudo que eu fazia, tinha influencia religiosa, meus pais simplesmente me matariam se eu levasse adiante aquela gravidez, era o fim do mundo! Eu e meu namorado somos estudantes, não tínhamos dinheiro suficiente pra criar uma criança da melhor forma possível. Tudo aquilo estava virando um pesadelo, as brigas com meu namorado aumentaram, estava de mudança, não conseguia me concentrar nas aulas, esperava o remédio ansiosamente, me esforçava para ninguém perceber que tinha algo errado comigo, estava preocupada em diagnosticar a gravidez nos outros exames que eu ainda precisava fazer, acordava emburrada e ia deitar desesperada por estar mais um dia grávida. E então medicamento chegou 03 dias depois e tomei no dia seguinte sozinha na minha casa, pode parecer ridículo mas não queria meu namorado por perto, fiquei morrendo de medo da “dó” dele fazer tudo dar errado, ele queria a criança e estava agindo de um jeito péssimo, não queria e nem precisava dele perto de mim, estava pronta pra aguentar tudo o que fosse preciso. Fiquei de jejum por 07 horas, tomei a primeira dose de 4 via sublingual as 9:00, não senti muita coisa, tive sintomas rápidos como calafrios forte e suava muito e depois de 30 minutos comecei a sentir leves pontadinhas de cólica mas logo passou, não tive sangramento, 03 horas depois tomei os outros 02 comprimidos sublingual e a mesma coisa aconteceu, cólica leve que durou pouco. Depois de 01 hora começou um leve sangramento, as cólicas ainda eram fracas e vinham e voltavam toda hora. 02 horas depois veio o sangramento mais forte e as cólicas ficaram razoáveis e suportáveis porém não duraram muito, pararam no final da tarde e só o sangramento continuou. Não saiu coágulos apenas um sangue semelhante a menstruação e nisso ficou, no dia sangramento diminuiu bastante, imaginei que algo estava errado, não havia sentia as cólicas absurdas que li nos depoimentos e nem desceu coágulos e domingo decidi ir num pronto socorro de obstetrícia. Expliquei que estava gestante de 09 semanas e havia tive um sangramento na sexta, a doutora fez o exame de toque e meu útero estava meio aberto e meio fechado e não dava pra saber se tinha acontecido um aborto e teria que esperar pra fazer um ulta som. 20 minutos depois lá estava eu com o coração na mão querendo saber o que tinha acontecido, a maioria dos depoimentos que eu li os abortos tinham sido fáceis, o sangramento vinha com toda força o corpo expeli tudo e fim da história e já estava começando a achar que não iria acontecer o mesmo comigo. Durante o exame a médico não falou simplesmente nada, apenas olhava atentamente o monitor, quando acabou ela me chamou na mesa dela pra conversar e então eu ouvi “o baby está sem batimentos cardíacos”, meu aborto estava incompleto, RETIDO! Eu esperava que tudo acontecesse menos isso, fiquei totalmente confusa, havia um feto de 3 cm(ele cresceu rápido) morto dentro de mim e eu havia provocado isso, não sabia o que pensar.. me perguntava como aquilo tinha sido possível?! Preferia mil vezes ter expelido de uma vez ao saber que continuava dentro de mim e morto! A médica me deu as opções do que eu poderia estar fazendo: partir pra curetagem, ficar internada 02 dias para introduzir remédio via vaginal que ajuda o corpo a expelir ou esperar o corpo expelir sozinho e voltar lá assim que fosse possível, mas não poderia passar 15 dias sem ter sangramento, pois estava correndo perigo de ter infeção. Escolhi a expulsão natural, não podia ficar internada de jeito nenhum, meus pais nem sonhavam com nada daquilo. Pedi que ela me receitasse algum remédio pra estimular a expulsão mas ela falou que não tinha nada que ajudasse e que o corpo ia se encarregar de expulsar sozinho e que não era um caso de emergência pra mim optar pela curetagem. Fui pra minha casa logo depois e chorei muito, me sentia triste, com medo e muito, muito confusa, não queria que nada daquilo tivesse acontecido, não era nem pra mim ter engravidado. Meu sangramento estava praticamente acabando só tinha um sangue bem escuro e eu estava com medo do corpo não expeli, li que muitas mulheres esperam e o corpo não expeli e são obrigadas a fazer curetagem. Comecei a tomar o Methergin(foi um sufoco pra encontrar nas farmácias e ajuda na limpeza do útero) e o Neotaren(evitar infeção) na segunda feira, senti pontadinhas de cólica apenas no primeiro dia e depois não senti mais nada, absolutamente nada e o sangramento cessou no meio da semana. Eu estava ficando um trapo, andava muda e quieta e não me concentrava em nada e não falava muito; uma amiga minha percebeu que eu estava super estranha e que algo tinha acontecido comigo eu não queria contar por medo, todas as pessoas tem uma reação diferente quando se fala em aborto, não queria ser julgada ou ouvir sermão de alguém. Depois de tanto ela insistir acabei contando e por coincidência ela havia feito um aborto no começo do ano e ainda tinha alguns comprimidos que sobraram. Vi minha luz no fim do túnel, uma dose de cytotec com certeza resolveria meus problemas e os comprimidos eram autênticos da marca Pfizer. Ela me deu os comprimidos e peguei o contato da fornecedora dela. Tomei a dose de 06 comprimidos(04 primeiro e depois de 3 horas mais 2 comprimidos) durante a madrugada via sublingual, acordei algumas vezes de noite de madrugada com calafrios e suava muito mas nada de cólica. Acordei de manhã normal, deitada eu não sentia nada mas quando eu levantei senti uma cólica forte e desceu muito sangue em questão de segundos, chegou a sujar minha roupa, corri pro banheiro e saiu um pedaço grande, coágulos médios e escorria mais sangue. As dores foram aumentando conforme descia, quanto mais sangue mais cólica e quanto mais cólica mais coágulos, as cólicas eram fortes e suportáveis, saiu mais dois pedaços grandes do tamanho da palma da minha mão de uma vez só, cheguei a me assustar com aquilo porque eram pesados e super escuros o sangue continuava intenso, depois da saída desses pedaços a cólica começou a amenizar aos poucos, começou a descer coágulos de sangue médios e pequenos durante 02 horas e depois cessaram e ficou um sangramento tipo menstruação com fluxo intenso, nada fora do normal o restante da sexta e o sábado inteiro. Domingo fui no mesmo pronto socorro de novo outra médica me atendeu eu expliquei a situação e falei que tinha sangrado com coágulos e pedaços, fiz um exame de toque, meu útero estava aberto, tinha sangramento ativo e fui fazer um ultra som. Durante o exame a médica me mostrou que havia ainda o saco gestacional de 1,25 entrando no canal do colo útero e faltava pouco pra ele descer. Ela me medicou com um remédio que ajudava na expulsão, fiquei a tarde inteira no hospital tomando o medicamento na veia, acabei as 17:30 quando a médica me chamou de novo e fizemos um novo ulta som e o saco gestacional ainda estava lá, tinha se mexido muito pouco e meu fluxo tinha aumentado por causa do medicamento. A doutora fez o exame de toque na esperança de sentir o feto e tentar puxar, mas não deu certo, ela tentou de novo com uma pinça e senti muita cólica conforme ela tentava puxar mas não deu certo o saco gestacional ainda estava fora de alcance. Ela queria me internar naquela hora pra fazer uma curetagem, falei que não poderia ficar de jeito nenhum porque meus pais não sonhavam que eu estava lá e não poderia ficar internada pra ter alta no dia seguinte, ela foi bem clara explicou que as normas do hospital não deixavam ela me dar alta porque estava com o útero aberto e eu poderei ter uma infecção e isso só pioraria as coisas, falou que não tinha medicamento que ajudasse na expulsão ou eu poderia assinar uma alta ciente e assumir a responsabilidade de qualquer coisa que poderia acontecer comigo. Fui embora preocupada com uma infecção, se eu tivesse uma infecção ficaria internada 03 dias, meus pais saberiam que tive um aborto e isso estava totalmente fora de alcance, não poderia deixar ninguém descobrir na reta final. Continuava a tomar o Neotaren e o Methergin. Voltei no pronto socorro de novo dia 31, apresentei os papéis, expliquei o que aconteceu e esperava que ele fizesse um ultra som mas ele não fez, perguntei por que não poderia fazer e ele disse que somente com data marcada(as outras 2 vezes, as médicas fizeram ultra som) ele examinou por toque e disse que aparentemente estava tudo bem e que meu útero parecia estar fechado, confesso que fiquei com um pé atrás então marquei médico pra aquela semana mesmo. Expliquei pro doutor do aborto retido, da expulsão e do saco gestacional, pedi um ultra som e um medicamento pra ajudar na limpeza do útero e ele me passou o Ergotrate(achei fácil na farmácia), porém não funcionou, não senti cólica, não tive sangramento, comigo não funcionou mas li que com outras pessoas funcionaram. Resolvi comprar 04 comprimidos de cytotec da marca Pfizer, não tinha dúvidas que funcionaria e não via a hora de acabar tudo aquilo. Gastei 400 reais e dia 17/09 os comprimidos chegaram, tomei na mesma semana, não senti quase nada apenas pouco calafrio, saiu coágulos pequenos e o sangramento estava médio mas cessou 02 dias depois. Quando o sangramento acabou, fui fazer um ultra som e por fim meu útero estava limpinho, consegui me sentir aliviada e feliz depois de 01 mês e meio. Minha menstruação veio normal dia 07/10, vou começar a tomar o anticoncepcional Level e vou tomar sempre cuidado para não acontecer tudo de novo. Foi o pior momento da minha vida sem dúvidas, não aguentava olhar pra criança, queria fingir que elas não existiam! Depois que acontece com a gente percebemos como é estar do outro lado da moeda.. mudei minha opinião sobre o aborto e acho totalmente injusto essa falta de liberdade contra a mulher. A responsabilidade maior é sempre nossa, não precisamos viver assim. Pense primeiro em você, pois ninguém além de você vai carregar um filho pro resto da vida. Pense bem pra quem ira contar o que está passando porque as pessoas te julgam com toda a força que puder, você sempre vai ouvir que deveria se prevenir e que precisa assumir a responsabilidade, porém ninguém vê que acidentes acontecem e até quando nós cuidamos podemos engravidar. Eu chorei muito escondida quando tudo acabou, em alguns momentos me arrependi, me perguntava se um dia poderia ser uma boa mãe, pensava em tudo que tinha acontecido, pensava no ultra som com batimentos e logo depois outro ultra som sem batimentos cardíacos! É uma prova de fogo que coloca seu psicológico, seu sentimental e seu relacionamento em jogo. Eu aguentei a barra mas não foi fácil, por mais que meu namorado não tenha me abandonado eu me senti muito sozinha nisso tudo, o que me ajudou foram os depoimentos e poder conversar com pessoas que passaram pela mesma coisa que eu.

achei estranho mas não me preocupei o suficiente pra ir no médico. Foi então que no começo de Julho minha gastrite atacou brutalmente, meu estomago doía demais, não conseguia comer, vomitava depois de todas as refeiçoes, não encontrava posição certa pra deitar e as dores só foram aumentando, mal conseguia comer nem fruta e chegou a ponto de ter emagrecido(bastante).. minhas roupas estavam ficando largas e eu não sabia mais o que fazer porque geralmente minha gastrite passa sozinha em questão de dias e dessa vez ela durou o mês de Julho inteiro e o remédio não fazia mais efeito. Marquei um gastro na última semana de Julho e ele me passou uns exames e um deles era uma tomografia (abdômen). No mês de Julho eu tive um leve sangramento que no dia seguinte parou e veio a borra de café só que dessa vez durou uns 4 dias, achei que não era nada demais e não me preocupei de novo, afinal parecia que eu estava “menstruada” e nem sequer passou pela minha cabeça que eu estivesse gravida, afinal eu tinha perdido muito peso. No dia 06 de Agosto eu fui fazer meu exame. Tudo correu bem, preenchi formulário, estava de jejum e louca pra ir embora logo. Fiz o procedimento da tomografia e quando acabou o médico entrou na sala e perguntou quando havia sido minha última menstruação, achei a pergunta estranha, mas estava tranquila, afinal de contas tomava remédio e minha “menstruação” tinha dado o ar da graça a pouco tempo. Respondi pra ele que havia sido no mês passado e ele falou que havia algo estranho porque meu útero estava dilatado e tinha aparecido uma imagem cística nos exames e que provavelmente era gravidez. Confesso que entrei em panico e fiquei repetindo pra mim mesma e pra ele que era impossível isso acontecer, eu havia menstruado e tomava remédio. Creio que ele percebeu meu desespero e logo fez uma guia de exame pra um transvaginal e pediu um encaixe no ultra som do laboratório com urgência, fiquei aliviada por poder descobrir o que estava acontecendo e ter certeza daquilo. Logo fui chamada pra realizar o exame, tremia muito, estava nervosa e repetindo pra mim mesma que não era possível, foi quando o médico falou “puxa, você está gestante mesmo”. Tenho certeza que aquele momento eu fiquei branca, gelada e senti meu mundo desabar em fração de segundos, perguntei pra ele com a voz trêmula a idade gestacional ele falou “8 semanas e tem aproximadamente 1,75 cm” e quando eu achava que não podia mais piorar, ouvi os batimentos cardíacos e o médico virou o monitor pra mim dar uma olhada, não sabia se virava o rosto, pedia pra ele desligar tudo ou chorava. Sai de la cambaleando, senti minha pressão cair, tremia e chorava. Só conseguia pensar que havia algo dentro de mim, crescendo, se alimentando e estava prestes a arruinar minha vida, meus estudos, meu futuro e tudo, iria arruinar tudo. Liguei pro meu namorado em desespero ele não sabia o que falar, não conseguiu raciocinar, estávamos encurralados e só vinha uma coisa na minha mente: abortar. Eu e meu namorado estávamos numa crise, brigávamos toda hora e a gravidez só agravou mais a situação. De imediato comecei a pesquisar sobre aborto, procurava clínicas, vendedores de cytotec e não conseguia pensar em mais nada além da gravidez.. quando meus pais chegaram em casa naquele dia eu mal conseguia olhar pra eles, me sentia terrível, horrível, queria poder sumir pra sempre. E aquela noite foi a pior noite da minha vida eu não dormi nada, rodava de um lado pro outro, minha barriga queimava de dor e quanto mais nervosa eu ficava mais dor eu sentia, foi um desespero, não conseguia falar com ninguém, só sabia pesquisar sobre aborto, parecia que minha cabeça ia estourar a qualquer momento. Eu já tinha tomado minha decisão e iria abortar a qualquer custo, meu namorado concordou comigo mais no fundo ele queria ter a criança e isso me deixava enfurecida porque a mais prejudicada na historia seria eu, pro homem é simples virar pai mas pra mulher a vida muda totalmente e a responsabilidade é maior. Pensava que tudo precisava dar certo, tinha que dar certo o aborto.. sai em disparada mandando e-mail pra todos os contatos que encontrava, explicando minha situação e pedindo ajuda, obtive algumas respostas mas nenhuma que trazia confiança, olhava em diversos sites, encontrei o cytotec misoprostol e outros sites com depoimentos, lia e relia atentamente cada um deles e me perguntava se daria tudo certo comigo. Fiz amizade com uma moça que havia feito um aborto esse ano e se não fosse por ela eu estaria praticamente perdida; consegui meu primeiro contato para a venda do cytotec, era um medicamento genérico, compramos 6 comprimidos gastei 780 reais, fiz a compra no dia na segunda semana de Agosto e só me restava esperar pois a vendedora morava longe. Nesse meio tempo encontrei uma associação de ajuda a mulher com gravidez indesejada, achei que conseguiria o endereço de alguma clínica ou algo que me ajudasse no aborto, mas foi totalmente ao contrário, a mulher que conversava com as gravidas tentou me convencer que eu poderia ter a criança e que havia outros meios de sair dessa situação e meu namorado começou entrar na onda dela, me senti totalmente sozinha naquele momento, por mais que a inteção dela havia sido boa em certas partes a última coisa que eu precisava era de alguém tentando fazer minha mente e ver meu namorado se tornar outra pessoa diante dos meus olhos, ele se colocou como se eu fosse irresponsável por ter tomado a decisão de abortar, como se a decisão tivesse sido só minha, teve a cara de pau de falar que eu poderia ter a criança e dar pra ele criar sem mim e quando descobrimos o que eu mais ouvia dele era “vai dar tudo certo, vamos abortar e tudo vai acabar bem, não podemos ter essa criança de jeito nenhum”. Cada minuto daquele lugar fazia meu sangue ferver. Ninguém podia me entender, ninguém via o desespero que eu estava e percebi que tinha que tentar me virar sozinha e fazer tudo que tivesse ao meu alcance pois meu futuro e meu corpo pertencia só a mim e além disso eu estava atrás de tudo sozinha, pesquisei tudo sobre aborto sozinha, encontrei os contatos sozinhas, li os depoimentos sozinha, encontrei a associação sozinha, encontrei uma clinica sozinha (não conseguiram me atender porque estava sendo investigados pela policia), ele ajudou apenas na quantia dos remédios. Antes eu fui uma pessoa irresponsável, nunca me cuidei com os namorados que tive, vivia de pilula do dia seguinte achava que tinha algum problema e não podia engravidar e quando finalmente decidi me cuidar pra não correr o perigo de ter uma gravidez indesejada, eu engravidei! Minha mãe engravidou com 16 anos de mim e eu cresci ouvindo que uma gravidez na minha adolescência seria totalmente repugnante pros meus pais e pra toda minha família, eles com certeza não me ajudariam e eu teria que me virar sozinha, meu pai sempre foi rígido comigo e minha mãe sempre levou a culpa por tudo que eu fazia, tinha influencia religiosa, meus pais simplesmente me matariam se eu levasse adiante aquela gravidez, era o fim do mundo! Eu e meu namorado somos estudantes, não tínhamos dinheiro suficiente pra criar uma criança da melhor forma possível. Tudo aquilo estava virando um pesadelo, as brigas com meu namorado aumentaram, estava de mudança, não conseguia me concentrar nas aulas, esperava o remédio ansiosamente, me esforçava para ninguém perceber que tinha algo errado comigo, estava preocupada em diagnosticar a gravidez nos outros exames que eu ainda precisava fazer, acordava emburrada e ia deitar desesperada por estar mais um dia grávida. E então medicamento chegou 03 dias depois e tomei no dia seguinte sozinha na minha casa, pode parecer ridículo mas não queria meu namorado por perto, fiquei morrendo de medo da “dó” dele fazer tudo dar errado, ele queria a criança e estava agindo de um jeito péssimo, não queria e nem precisava dele perto de mim, estava pronta pra aguentar tudo o que fosse preciso. Fiquei de jejum por 07 horas, tomei a primeira dose de 4 via sublingual as 9:00, não senti muita coisa, tive sintomas rápidos como calafrios forte e suava muito e depois de 30 minutos comecei a sentir leves pontadinhas de cólica mas logo passou, não tive sangramento, 03 horas depois tomei os outros 02 comprimidos sublingual e a mesma coisa aconteceu, cólica leve que durou pouco. Depois de 01 hora começou um leve sangramento, as cólicas ainda eram fracas e vinham e voltavam toda hora. 02 horas depois veio o sangramento mais forte e as cólicas ficaram razoáveis e suportáveis porém não duraram muito, pararam no final da tarde e só o sangramento continuou. Não saiu coágulos apenas um sangue semelhante a menstruação e nisso ficou, no dia sangramento diminuiu bastante, imaginei que algo estava errado, não havia sentia as cólicas absurdas que li nos depoimentos e nem desceu coágulos e domingo decidi ir num pronto socorro de obstetrícia. Expliquei que estava gestante de 09 semanas e havia tive um sangramento na sexta, a doutora fez o exame de toque e meu útero estava meio aberto e meio fechado e não dava pra saber se tinha acontecido um aborto e teria que esperar pra fazer um ulta som. 20 minutos depois lá estava eu com o coração na mão querendo saber o que tinha acontecido, a maioria dos depoimentos que eu li os abortos tinham sido fáceis, o sangramento vinha com toda força o corpo expeli tudo e fim da história e já estava começando a achar que não iria acontecer o mesmo comigo. Durante o exame a médico não falou simplesmente nada, apenas olhava atentamente o monitor, quando acabou ela me chamou na mesa dela pra conversar e então eu ouvi “o baby está sem batimentos cardíacos”, meu aborto estava incompleto, RETIDO! Eu esperava que tudo acontecesse menos isso, fiquei totalmente confusa, havia um feto de 3 cm(ele cresceu rápido) morto dentro de mim e eu havia provocado isso, não sabia o que pensar.. me perguntava como aquilo tinha sido possível?! Preferia mil vezes ter expelido de uma vez ao saber que continuava dentro de mim e morto! A médica me deu as opções do que eu poderia estar fazendo: partir pra curetagem, ficar internada 02 dias para introduzir remédio via vaginal que ajuda o corpo a expelir ou esperar o corpo expelir sozinho e voltar lá assim que fosse possível, mas não poderia passar 15 dias sem ter sangramento, pois estava correndo perigo de ter infeção. Escolhi a expulsão natural, não podia ficar internada de jeito nenhum, meus pais nem sonhavam com nada daquilo. Pedi que ela me receitasse algum remédio pra estimular a expulsão mas ela falou que não tinha nada que ajudasse e que o corpo ia se encarregar de expulsar sozinho e que não era um caso de emergência pra mim optar pela curetagem. Fui pra minha casa logo depois e chorei muito, me sentia triste, com medo e muito, muito confusa, não queria que nada daquilo tivesse acontecido, não era nem pra mim ter engravidado. Meu sangramento estava praticamente acabando só tinha um sangue bem escuro e eu estava com medo do corpo não expeli, li que muitas mulheres esperam e o corpo não expeli e são obrigadas a fazer curetagem. Comecei a tomar o Methergin(foi um sufoco pra encontrar nas farmácias e ajuda na limpeza do útero) e o Neotaren(evitar infeção) na segunda feira, senti pontadinhas de cólica apenas no primeiro dia e depois não senti mais nada, absolutamente nada e o sangramento cessou no meio da semana. Eu estava ficando um trapo, andava muda e quieta e não me concentrava em nada e não falava muito; uma amiga minha percebeu que eu estava super estranha e que algo tinha acontecido comigo eu não queria contar por medo, todas as pessoas tem uma reação diferente quando se fala em aborto, não queria ser julgada ou ouvir sermão de alguém. Depois de tanto ela insistir acabei contando e por coincidência ela havia feito um aborto no começo do ano e ainda tinha alguns comprimidos que sobraram. Vi minha luz no fim do túnel, uma dose de cytotec com certeza resolveria meus problemas e os comprimidos eram autênticos da marca Pfizer. Ela me deu os comprimidos e peguei o contato da fornecedora dela. Tomei a dose de 06 comprimidos(04 primeiro e depois de 3 horas mais 2 comprimidos) durante a madrugada via sublingual, acordei algumas vezes de noite de madrugada com calafrios e suava muito mas nada de cólica. Acordei de manhã normal, deitada eu não sentia nada mas quando eu levantei senti uma cólica forte e desceu muito sangue em questão de segundos, chegou a sujar minha roupa, corri pro banheiro e saiu um pedaço grande, coágulos médios e escorria mais sangue. As dores foram aumentando conforme descia, quanto mais sangue mais cólica e quanto mais cólica mais coágulos, as cólicas eram fortes e suportáveis, saiu mais dois pedaços grandes do tamanho da palma da minha mão de uma vez só, cheguei a me assustar com aquilo porque eram pesados e super escuros o sangue continuava intenso, depois da saída desses pedaços a cólica começou a amenizar aos poucos, começou a descer coágulos de sangue médios e pequenos durante 02 horas e depois cessaram e ficou um sangramento tipo menstruação com fluxo intenso, nada fora do normal o restante da sexta e o sábado inteiro. Domingo fui no mesmo pronto socorro de novo outra médica me atendeu eu expliquei a situação e falei que tinha sangrado com coágulos e pedaços, fiz um exame de toque, meu útero estava aberto, tinha sangramento ativo e fui fazer um ultra som. Durante o exame a médica me mostrou que havia ainda o saco gestacional de 1,25 entrando no canal do colo útero e faltava pouco pra ele descer. Ela me medicou com um remédio que ajudava na expulsão, fiquei a tarde inteira no hospital tomando o medicamento na veia, acabei as 17:30 quando a médica me chamou de novo e fizemos um novo ulta som e o saco gestacional ainda estava lá, tinha se mexido muito pouco e meu fluxo tinha aumentado por causa do medicamento. A doutora fez o exame de toque na esperança de sentir o feto e tentar puxar, mas não deu certo, ela tentou de novo com uma pinça e senti muita cólica conforme ela tentava puxar mas não deu certo o saco gestacional ainda estava fora de alcance. Ela queria me internar naquela hora pra fazer uma curetagem, falei que não poderia ficar de jeito nenhum porque meus pais não sonhavam que eu estava lá e não poderia ficar internada pra ter alta no dia seguinte, ela foi bem clara explicou que as normas do hospital não deixavam ela me dar alta porque estava com o útero aberto e eu poderei ter uma infecção e isso só pioraria as coisas, falou que não tinha medicamento que ajudasse na expulsão ou eu poderia assinar uma alta ciente e assumir a responsabilidade de qualquer coisa que poderia acontecer comigo. Fui embora preocupada com uma infecção, se eu tivesse uma infecção ficaria internada 03 dias, meus pais saberiam que tive um aborto e isso estava totalmente fora de alcance, não poderia deixar ninguém descobrir na reta final. Continuava a tomar o Neotaren e o Methergin. Voltei no pronto socorro de novo dia 31, apresentei os papéis, expliquei o que aconteceu e esperava que ele fizesse um ultra som mas ele não fez, perguntei por que não poderia fazer e ele disse que somente com data marcada(as outras 2 vezes, as médicas fizeram ultra som) ele examinou por toque e disse que aparentemente estava tudo bem e que meu útero parecia estar fechado, confesso que fiquei com um pé atrás então marquei médico pra aquela semana mesmo. Expliquei pro doutor do aborto retido, da expulsão e do saco gestacional, pedi um ultra som e um medicamento pra ajudar na limpeza do útero e ele me passou o Ergotrate(achei fácil na farmácia), porém não funcionou, não senti cólica, não tive sangramento, comigo não funcionou mas li que com outras pessoas funcionaram. Resolvi comprar 04 comprimidos de cytotec da marca Pfizer, não tinha dúvidas que funcionaria e não via a hora de acabar tudo aquilo. Gastei 400 reais e dia 17/09 os comprimidos chegaram, tomei na mesma semana, não senti quase nada apenas pouco calafrio, saiu coágulos pequenos e o sangramento estava médio mas cessou 02 dias depois. Quando o sangramento acabou, fui fazer um ultra som e por fim meu útero estava limpinho, consegui me sentir aliviada e feliz depois de 01 mês e meio. Minha menstruação veio normal dia 07/10, vou começar a tomar o anticoncepcional Level e vou tomar sempre cuidado para não acontecer tudo de novo. Foi o pior momento da minha vida sem dúvidas, não aguentava olhar pra criança, queria fingir que elas não existiam! Depois que acontece com a gente percebemos como é estar do outro lado da moeda.. mudei minha opinião sobre o aborto e acho totalmente injusto essa falta de liberdade contra a mulher. A responsabilidade maior é sempre nossa, não precisamos viver assim. Pense primeiro em você, pois ninguém além de você vai carregar um filho pro resto da vida. Pense bem pra quem ira contar o que está passando porque as pessoas te julgam com toda a força que puder, você sempre vai ouvir que deveria se prevenir e que precisa assumir a responsabilidade, porém ninguém vê que acidentes acontecem e até quando nós cuidamos podemos engravidar. Eu chorei muito escondida quando tudo acabou, em alguns momentos me arrependi, me perguntava se um dia poderia ser uma boa mãe, pensava em tudo que tinha acontecido, pensava no ultra som com batimentos e logo depois outro ultra som sem batimentos cardíacos! É uma prova de fogo que coloca seu psicológico, seu sentimental e seu relacionamento em jogo. Eu aguentei a barra mas não foi fácil, por mais que meu namorado não tenha me abandonado eu me senti muito sozinha nisso tudo, o que me ajudou foram os depoimentos e poder conversar com pessoas que passaram pela mesma coisa que eu.

Comments 3

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Translate »
error: Content is protected !!